Iara escreveu em 30 de julho de 2016

O Projeto de Lei do Senado n° 350/2014, da Senadora Lúcia Vânia, traz novamente à discussão a regulamentação da Medicina, especialmente, os pontos vetados pela presidência  e, posteriormente, validados pela Câmara. À época, entre as justificativas para os vetos estavam a inviabilidade de serviços e o prejuízo à sociedade, às profissões da área da Saúde e aos programas de Saúde.

A fim de elucidar alguns pontos importantes, o presidente do COFFITO, Dr. Roberto Mattar Cepeda, aproveitou o momento para chamar a atenção ao que pode vir a ser um novo capítulo do Ato Médico. “O Conselho Federal de Medicina (CFM) insiste no entendimento de que a Fisioterapia e a Terapia Ocupacional são métodos de tratamento e devem ser prescritos pelo médico, cerceando a nossa autonomia e dificultando o acesso da população aos demais profissionais de Saúde”.

Assista ao vídeo abaixo, compartilhe e divulgue essa campanha!

Diga Sim à Saúde e Não ao Ato Médico

 

Clique aqui e Vote contra o Ato Médico: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaomateria?id=119167